Arquitetura

Design de Superfície não é apenas decorativo.

Em um projeto da escola de Arquitetura Bartlett, em Londres, pesquisadores desenvolveram um sistema de ladrilhos incrustados com algas capazes de filtrar elementos químicos e metais pesados da água. Além do objetivo prático, os projetistas não deixaram por menos a estética. A parede de ladrilhos é linda e se torna um elemento decorativo. Veja o artigo completo em:

Peter Kogler e a energia das linhas

Peter Kogler é um artista austríaco, nascido em 1959 que transita entre arte e arquitetura, passando às vezes pela moda. Seus trabalhos mais recentes utilizam ilusões de ótica para desenhar tetos, pisos e paredes por meio de linhas que se cruzam em vários sentidos transformando superfícies planas em “tridimensionais”.  A linha como elemento de composição tem uma enorme energia. Segundo Dondis, em Sintaxe da Linguagem Visual, “ela nunca é estática: é o elemento visual inquieto e inquiridor de esboço[…], o meio de se apresentar qualquer coisa que ainda não existe, a não ser na imaginação.” A linha tem sempre um propósito, vai para algum lugar, indica uma direção. Assim também, um conjunto de linhas paralelas sugerem uma determinada superfície. É na variação de espaços entre paralelas que a brincadeira de Kogler toma vida. Antes dele outros, como por exemplo Escher, já haviam explorado recursos ilusórios com linhas e perspectiva, mas o que também torna a obra de Kogler bastante interessante é que ela se instala em espaços urbanos como praças e galerias de metrô. Conheça mais, visitando o site do artista. http://www.kogler.net/